Desperdícios e resgate

Em algum momento da vida, a elasticidade se perdeu, assim como estão defasadas a capacidade de amar, de perdoar, de me alegrar... Para resgatar a elasticidade: pilates; para todo o resto: o Espírito Santo!

Aula de pilates. O exercício é simples. Sentadas no chão, com as pernas abertas e esticadas, as alunas devem segurar um dos pés. Todas conseguem com aparente facilidade. Menos eu… Minhas mãos mal chegam ao meio da canela!

Fico pensando se não é melhor desistir, quando um pensamento me invade  a consciência: eu deveria ser capaz de fazer esse e todos os outros exercícios propostos, porque meu corpo foi dotado dessa capacidade. Eu só não consigo agora porque, durante muitos anos, abri mão das amplas possibilidades do meu organismo. Voluntariamente, desavisadamente.

De quantas outras coisas “naturais” em mim eu abri mão? Quantos atributos concedidos por Deus ao me fazer imagem e semelhança sua se perderam na minha caminhada distraída pela vida afora? Quanto desperdício de alegria, quanto amor fragmentado, quanto perdão enrijecido?

A aula está acabando. A ideia de abandonar o pilates foi embora – ele é uma chance de eu resgatar ao máximo a elasticidade perdida. Agradeço a Deus por poder frequentar a academia, por ter acesso a informações que estimulam minha capacidade mental, por tudo que me faz permanecer ativa e útil à sociedade. Mas, sobretudo, sou grata a Deus por ter enviado o Espírito Santo, que refaz o meu ser, me torna nova criatura, me remete à plenitude planejada pelo Pai na criação do mundo, na crucificação de Cristo… 

Que esse Santo Espírito Consolador seja sempre o nosso mais precioso companheiro de jornada.

“O Senhor Deus me deu o seu Espírito. (…) para dar aos que choram em Sião uma coroa de alegria, em vez de tristeza, um perfume de felicidade, em vez de lágrimas, e roupas de festa, em vez de luto.” (Is 61.1,3)

Bom dia!

Em tempo 1: Comecei o pilates por recomendação médica, pra auxiliar no tratamento da coluna.
Em tempo 2: Sempre detestei academias… 🙂

De bem com a inteligência

“Trate a sabedoria como sua irmã e o entendimento como o seu melhor amigo.” Pv 7.4

A lição na escola primária era clara e simples: os animais são seres irracionais; os seres humanos são seres racionais. Quem esquece? Pois, talvez porque durante um certo tempo só a razão parecia ter algum valor, parece que entramos numa época em que o que conta é apenas a emoção, a autossatisfação.

Agora somos estimulados a fazer o que nos der na telha, “sem pensar”. Daí que falamos e agimos sem pensar, consumimos sem pensar e até comemos sem pensar. Não nos damos conta de que, dessa maneira, abrimos mão do valioso dom concedido por Deus e que nos confere um lugar especial na criação: a capacidade de raciocínio. 

É muito bom que a humanidade esteja reaprendendo a dar a devida atenção aos sentimentos e às emoções, mas é tolice extrema abrir mão do “direito” de pensar, analisar, escolher, planejar, projetar o futuro… Uma coisa não exclui a outra. Pensamento e sentimento se complementam.

Não é hora de fazermos as pazes com o intelecto e experimentarmos a plenitude que Deus sonhou pra nós? E que tal começarmos pelo amor? “Ame o Senhor, o seu Deus, de todo o seu coração, de toda a sua alma, de todo o seu entendimento e de todas as suas forças (…) Ame o seu próximo como a si mesmo.” (Mc 12.30,31)

Bom dia!

Desabafo, às vésperas das eleições

 Escrevi o texto abaixo em resposta ao email de uma grande amiga que me passou uma daquelas “correntes” demonizando Lula, Dilma e o PT… Como ela não é a única que me passa esse tipo de mensagem, e como tenho minhas dúvidas quanto às intenções dos idealizadores desse tipo de mobilização, fica aí o registro pra quem quiser ler!

Olha só: quero aproveitar esse seu email pra fazer um desabafo. Sei que com você tenho liberdade pra isso e que vc ao menos vai considerar o que estou dizendo e, mesmo que não concorde, é capaz de continuar me amando… rsrs

Sinceramente, quando vejo essa “mobilização evangélica” contra-Dilma e pró-Serra fico me perguntando a favor de que ou quem é que estão se mobilizando na verdade.

Por que esses crentes querem liberdade religiosa? Pra que querem o direito de falar abertamente da Bíblia? Contra o que estão lutando? Em que se baseiam pra dizer tais coisas? Tudo que está sendo dito e espalhado tem um mínimo de compravação?

Francamente, menina, não acredito na “pureza” de intenções dessas pessoas (claro que isso exclui você e mais alguns amigos verdadeiros… rs).

Acredito que a maior parte dessas denúncias não passa de boatos, acho que haverá outros meios de mobilização caso algumas dessas ameaças queiram virar realidade por meio de leis e mais: acredito que se a igreja perder realmente um pouco dos muitos privilégios que tem teremos menos apóstolos e semi-deuses fazendo o que fazem com o evangelho hoje. Sim, porque essa gente só faz o que faz porque, entre outras coisas, não passa de um bando de covardes; pessoas que, diante da menor ameaça ou dificuldade, não vão hesitar em por o rabinho entre as pernas ou pegar o primeiro voo pras Bahamas…

Acho essa campanha “difamatória” fora de hora e de lugar! Pra mim, o que realmente deveria contar na hora de escolhermos os nossos candidatos são as realizações, as convicções ideológicas e coisas do tipo. A mobilização é válida, sim, mas quando feita de forma apropriada e consciente – como no caso da lei da ficha limpa, por exemplo.

Duvido que num governo neoliberal (como FHC e Serra) teríamos saído da crise mundial da maneira que saímos. Na minha modesta opinião, o neoliberalismo é o que há de pior em termos de política e o que há de mais antibíblico, ainda que eu pertença à classe que realmente conta pros políticos neoliberais. “Pobres e viúvas”, pra eles, não passam de um estorvo ou no máximo uma camada social a quem eles podem aplicar suas “políticas públicas” elaboradas pelos melhores teóricos e intelectuais de conceituadas universidades estrangeiras.

Não creio que eu, minha família e grande parte dos meus amigos seremos abalados particularmente pelo vencedor das próximas eleições. Terei que continuar a depender de plano de saúde para ter uma assistência médica digna, terei de pagar pela segurança da minha rua e meus filhos precisarão continuar a frequentar uma escola particular. Então, quando escolho não votar no Serra, estou votando, na verdade, a favor da minha empregada, que, graças ao atual governo, conseguiu ter acesso a coisas impensáveis há oito anos, como telefone celular, pra ficar num exemplo bem corriqueiro.

Acredito que todos devemos orar pelo nosso país nesse período de eleição e procurar votar pensando no bem comum e não apenas no nosso próprio umbigo evangélico. Atribuir ao governo um poder maior do que o do próprio Deus é apenas falta de fé… Assim, fico com o que a Bíblia diz: toda autoridade é constituída por Deus. Se Ele quiser abençoar o país com um governo justo e bom, ótimo, melhor pra todo mundo, mas se ele entender que nossa nação tá precisando passar por um pouquinho de “dificuldade”, amém por isso também.

O importante, eu acho, é que nesse momento não sejamos “manipuláveis” e votemos, sim, de acordo com a nossa consciência, com nossas convicções. Olha, eu tenho nojo de algumas manchetes que vejo na imprensa. Sei que elas são forjadas pra me fazer acreditar em algo que eu nem tenho como checar se é verdade ou não… Tudo que me vem à mente é aquela edição do Jornal Nacional que foi decisiva na eleição do Collor e derrota do então (e ainda?) “demoníaco” Lula… Então, só me resta a oração e a consciência tranquila…

Enfim é isso… Ainda não sei se voto na Dilma ou na Marina… Mas, uma coisa é certa: nada poderá me separar do amor de Deus que está em Cristo Jesus, nosso Senhor.

Beijos mil (e obrigada por me ler até aqui),

Cris

Amor aqui, esperança lá

“Esteja sobre nós o teu amor, Senhor, como está em ti a nossa esperança.” Salmo 33.22

Que bela composição poética e, ao mesmo tempo, quanta ousadia do salmista! Sei que Deus me ama, que seu amor por mim é infinito, insondável, incondicional e tudo mais, mas será que a minha esperança nele é isso tudo? Claro que não dá pra comparar… Mas pra onde ela está direcionada? Sei que sou alvo do amor de Deus, mas será que Ele é o alvo da minha esperança? Que hoje eu experimente um pouco só da profundidade do amor que o Senhor derrama sobre nós e possa corresponder a isso apenas confiando menos em mim, esperando menos das situações ou das pessoas, mas depositando nele toda a minha esperança. Desejo o mesmo a você. 😉

Bom dia, com graça!